Entrevista com Joana Dionísio, vencedora do Concurso de Ilustração

A Joana Dionísio tem 33 anos e foi a vencedora da edição deste ano do Concurso de Ilustração e Design do CLi-FLUL. É designer gráfica e há 10 anos, com três amigos, trocou a Madeira por Barcelona. O ano passado decidiu arriscar um pouco mais: deixou o trabalho e voltou aos estudos, num mestrado em Design Gráfico e Ilustração a que agora se dedica a 100%. Adora fazer ilustração, viajar e diz que encontra o prazer nas coisas simples, sobretudo ao comer cerejas!
Portuguesa, a viver em Barcelona. Qual é a história por trás dessa mudança?

Eu nasci e vivi até aos 23 anos na Madeira. Quando tive oportunidade de fazer Erasmus, tinha 21 anos, entendi que depois de terminar os estudos não queria viver na Madeira: é uma ilha fantástica mas sentia que precisava de conhecer outros sítios. Nessa altura, com três bons amigos, decidimos vir viver para Barcelona. Como qualquer mudança nem tudo foi fácil, mas estou muito feliz com essa decisão. E como dizem, há coisas que deves fazer quando és jovem!

Como é que começou o interesse pela ilustração?

joana insta

O curso de Design Gráfico que fiz, na Universidade da Madeira, englobava muitas técnicas desde serigrafia, linóleo, barro e gesso, desenho de modelo nu, photoshop,... ou seja, misturava técnicas manuais com a parte digital. Na altura questionava-me um pouco sobre o porquê de ter de fazer alguns projectos e hoje em dia agradeço imenso. Quando terminei o curso pensava que iria ter um trabalho de designer gráfica, mas às vezes a vida dá muitas voltas. Encontrar trabalho na área foi difícil, e acabei por trabalhar muitos anos noutra área, em apoio ao cliente, mas a paixão pelo design gráfico esteve sempre presente.

E como é que foi a reaproximação ao design e à ilustração?

Há uns 5 anos atrás contactei com alguns estúdios de design e consegui fazer estágio num onde trabalhavam sobretudo convites de casamento. Quando comecei a trabalhar, a minha chefe perguntou se podia desenhar algumas coisas para um projecto que tinha na altura. Há imensos anos que não desenhava e quando o fiz gostei e nunca mais pare

i. Depois do estágio, o estúdio decidiu não me contratar e depois de algum tempo comecei a fazer projectos para amigos. No ano passado decidi que precisava de aprofundar alguns conhecimentos e que o mestrado era o melhor caminho para também entrar neste meio.

Nos trabalhos que desenvolves, quais as técnicas que mais utilizas?

Antes de começar o mestrado eu trabalhava sobretudo com o Illustrator ou seja fazia uma ilustração mais digital. Quando comecei o mestrado decidi

 que não queria passar tanto tempo no computador, e por isso obriguei-me a usar as minhas mãos como ferramentas. Então agora estou a redescobrir algumas técnicas que tinha quase esquecido (dessas que se aprende em criança e por algum motivo deixamos de usar… ). Gosto muito de lápis de cor, collage e recorte de papel, guache e canetas de feltro.

Qual a ideia por detrás do cartaz que levaste a concurso?

Queria que fosse, principalmente, algo divertido e colorido, já que o tema era dedicado a crianças e jovens. O que quis fazer foi dar um pouco de personalidade às línguas, como se fossem personagens reais que viessem directamente dos países para dar as aulas (que talvez seja o que acontece). Como ultimamente gosto muito de misturar manual e digital, fiz algumas texturas à mão e misturei com formas digitais.banner

Sendo o CLi uma escola de línguas, aproveitamos para perguntar se falas catalão e como é que foi a adaptação a uma língua nova; que estratégias utilizaste durante a aprendizagem?

Para trabalhar em Barcelona nunca me foi pedido o catalão. Como é uma cidade grande e cheia de gente de todos os lados a língua principal continua a ser o castelhano. Eu fiz Erasmus em Valencia quando estudava, daí que a adaptação ao castelhano tenha sido um pouco mais fácil. Além disso as semelhanças com o português são tantas que, para qualquer português, é sempre fácil aprendê-lo.

Como é que gostas de passar o tempo livre?

Gosto de tantas coisas! adoro viajar, conhecer sítios novos e culturas, adoro as coisas simples da vida como comer fruta sobretudo cerejas, cozinhar, adoro fazer ilustração e desenhar, gosto muito de ver documentários da BBC sobre o planeta terra e os animais, não posso viver sem música e a questão do meio ambiente é algo que me preocupa verdadeiramente.

És seguidora de alguns ilustradores também, nacionais, internacionais? Há alguns nomes que passas partilhar connosco?

Sou fã incondicional de Yara Kono (e de todos os livros do Planeta Tangerina), também gosto muito de Catarina Sobral, Carolina Celas, Ana Seixas, Hanna Kanola, Nicolas Burrows e Nous Vous, Jana Glatt, Jean Julien, Atelier Bingo, Anna Kovecses, Mizuki Goto, entre tantos outro. O mundo está tão cheio de gente criativa que é difícil escrever aqui todos os nomes!

Onde é que os nossos leitores podem ver os teus trabalhos?

Através do meu site pessoal https://www.behance.net/joanadionisiopereira ou também pelo Instagram @ajoanadionisio.